EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS - do chumbo-ácido à bateria de ião lítio

Tecnologia Chumbo-ácido

Tecnologia Ião Lítio

A indústria de baterias à escala mundial para aplicações nos sectores automóvel, energia e telecomunicações é, ainda hoje, largamente dominada pela tecnologia chumbo-ácido. Esta tecnologia, embora se encontre profndamente consolidada, tem registado avanços significativos que tem permitido responder às crescentes exigências de armazenamento de energia eléctrica quanto à fiabilidade, à duração, à manutenção e ao custo.

Dadas as características intrínsecas da tecnologia das baterias de Pb -H2SO4 , há limitações físicas que a impossibilitaram de responder às exigências de miniaturização e portabilidade da electrónica de consumo (laptops, notebooks, telemóveis, consolas de jogos, etc.). Por essa razão, na tentativa de dar resposta à necessidade de uma indústria emergente e em expansão acelerada, surgem as baterias de Ni-Cd, as de Ni-MH e nos anos 90 a Sony desenvolve a primeira bateria secundária (recarregável de Ião de Lítio (1992).

Com o ritmo crescente de solicitações dos vários tipos de equipamento, assiste-se a uma rápida evolução das tecnologias no sentido de as tornar mais acessiveis, com maior autonomia, maiores potências, melhor aptidão à ciclagem, rapidez de recarga e vida útil acrescida. nesta corrida, as baterias de ião de lítio ganham um protagonismo incontestado.

Ao conceber as baterias para os veículos eléctricos a densidade de energia assume uma importância primordial. Nesse sentido, face às tecnologias disponíveis, começou por se optar pelo Pb-H2SO4, Ni-Cd e Ni-MH e só mais tarde pelas baterias de Ião Lítio.

Eis algumas características das baterias de lítio que tem vindo a destronar as restantes tecnologias:

  • características dos materiais utilizados, como a sua baixa ou nula toxicidade e abundância de reservas naturais;​
  • tensões normais obtidas nos vários tipos de eléctrodos de Li (3.3-3.7V) que comparam com 1.2V para Ni-Cd ou Ni-MH;
  • elevadas densidades volúmicas e mássicas de energia;
  • rapidez de recarga;
  • ausência de efeito de memória;
  • a vida útil em número de ciclos;